Acordo de Paris sobre alterações climáticas em risco por falta de verbas

Written by 
Published in Ciência & Tecnologia
domingo, 09 setembro 2018 11:38
Rate this item
(0 votes)

Um grupo de ecologistas advertiu este domingo que, três anos após a assinatura por 195 países do Acordo de Paris para combater as alterações climáticas, o protocolo pode estar em risco pelas divergências dos Estados no financiamento.

 

"Há uma dúzia de países, liderados pela posição dos Estados Unidos, que recusam propostas para avançar com mecanismos de financiamento", denunciou a representante do grupo ecologista “Amigos da Terra”, Rachel Kennerly.

Falando aos jornalistas no âmbito da conferência sobre as alterações climáticas, que este domingo termina em Banguecoque, na Tailândia, a ecologista britânica Rachel Kennerly apelou, por isso, para os países que lutam contra este tipo de fenómenos, bem como à União Europeia, deem "um passo em frente" na concretização dos objectivos do Acordo de Paris, deixando de lado "as ambições" da administração norte-americana.

No Acordo de Paris ficou assente que os países desenvolvidos têm de contribuir, a partir de 2020, com 100 mil milhões de dólares por ano, para ajudar os Estados mais desfavorecidos a lutar contra as alterações climáticas e a mitigar os seus efeitos.

Mais de 1.400 delegados de 190 países e da União Europeia participam nesta conferência, que este domingo termina, e tem como objectivo chegar a um acordo sobre um quadro de orientações e regras para serem aprovadas na Cimeira do Clima (COP 24), que se realiza na Polónia em Dezembro.

As orientações devem ter presentes o Acordo de Paris (2015), que apresenta um plano de acção destinado a limitar o aquecimento global a um valor abaixo dos dois graus centígrados, entre outras medidas.

Esta conferência de Banguecoque é a última oportunidade de avançar as negociações antes da COP 24, após o fraco progresso conseguido na reunião preparatória realizada em Maio passado na cidade alemã de Bona.

Intervindo na ocasião, o porta-voz da organização não-governamental ActionAid International, Harjeet Singh, culpou a "crise" financeira pela "falta de confiança" entre os países desenvolvidos e em desenvolvimento para a atribuição de verbas no âmbito do Acordo de Paris.

Já Jesse Bragg, da associação Corportate Accountability, recusou "permitir que Donald Trump e os grandes grupos económicos [da indústria dos combustíveis] continuem a quebrar o Acordo de Paris", lembrando a intenção de os Estados Unidos em abandonar tal pacto até Novembro de 2020.

Por seu lado, a responsável da associação Asian People's Movement on Debt and Development, Lidy Nacpil, disse esperar que os países desenvolvidos "tenham noção de que estas acções reflectem uma negação clara das suas responsabilidades", falando ainda na "urgência" das negociações antes da COP 24. (RM-NM)

Read 328 times

Escolha do editor

Publicidade

Cultura

Maputo acolhe Primeiro Festival da Costa do Sol

Maputo acolhe Primeiro Festival da Costa do Sol

A cidade de Maputo acolhe, nos próximos dias 24 e 25 do corrente mês, a primeira edição do Festival...

Sociedade

Zambézia: Evitar fraudes nos exames

Zambézia: Evitar fraudes nos exames

A direcção provincial de Educação e Desenvolvimento Humano na Zambézia vai usar detectores de metais...

Rádios Online

Antena Nacional

EP Gaza

EP Sofala

RM Desporto

EP Nampula

Inquerito

O que acha do nosso novo website?

Meteorologia

Clear

21°C

Maputo, MZ

Clear

Humidity: 77%

Wind: 22.53 km/h

Programação

Contacto

Direcção de Informação: email: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.; Fixo 21 42 99 08, Fax 21 42 98 26 | Rua da Radio N 2, P.O.Box 2000 | Rádio Moçambique, EP

Conecte-se Connosco