Top Ad
Millenium Bim
www.bimcom
A sua banca aqui consigo
Matola Gas Company
www.mgc.com
A força da energia limpa moçambiana!

Oposição do Mali ameaça impugnar eleições por alegadas irregularidades

Published in Mundo
quinta, 02 agosto 2018 10:10
Rate this item
(0 votes)

A oposição do Mali ameaçou, esta quarta-feira, impugnar os resultados das eleições presidenciais realizadas no dia 29 de Julho, após denunciar irregularidades no processo eleitoral e um atraso de pelo menos três dias na divulgação dos resultados.

Num comunicado conjunto, mais de quinze candidatos, dos 24 que participaram nas eleições, chamaram os observadores internacionais e nacionais para "examinar e analisar com a maior neutralidade" as suas observações críticas.

Os signatários da declaração lamentaram que não tenham sido levadas em conta as suas observações sobre irregularidades no processo eleitoral, a compra de votos, o "enchimento" de urnas e a não publicação dos censos em algumas assembleias de voto.
Denunciaram também o uso "abusivo" por parte do presidente cessante, Ibrahim Boubacar Keita, de meios do Estado para favorecer a sua candidatura a um segundo mandato, e pediram a abertura de um inquérito judicial às acusações de corrupção feitas contra alguns membros do Tribunal Constitucional.
Esta aliança de partidos opositores encabeçados por Soumaila Cissé, líder do partido União para a República e Democracia, domina o debate político nas redes sociais do país.
O outro grupo, próximo do presidente cessante e encabeçado pelo partido maioritário, União para o Mali (RPM), mostra-se mais optimista relativamente a uma vitória parecida com a das anteriores eleições presidenciais, de 2013, quando Keita obteve 70% dos votos, afastando a necessidade de uma segunda volta.
Entretanto, a contagem dos votos continua desde domingo sem que até ao momento tenham sido apresentados resultados preliminares ou números sobre a taxa de participação, até à apresentação oficial dos resultados, a partir da próxima sexta-feira.
O local de contagem dos votos, uma dependência do Ministério da Administração do Território, está totalmente cercado por um forte destacamento policial, que impede o acesso de jornalistas e observardes.
Se nenhum dos candidatos obtiver mais de 50% dos votos, haverá uma segunda volta no dia 12 de agosto.
A insegurança reina no Mali desde o golpe de Estado de 2012, quando o anterior presidente, Amadou Toumani Touré, foi deposto e grupos rebeldes tuaregues ligados à Al Qaeda assumiram o controlo do Norte.
Apesar de os jihadistas terem sido expulsos um ano depois por uma intervenção militar internacional liderada pela França, grandes áreas do país ainda estão fora do controlo estatal.
O Mali assinou em 2015 um acordo de paz e de reconciliação em Argel, entre o governo e rebeldes tuaregues, mas a ameaça terrorista e a violência étnica persistiram e estenderam-se do norte ao centro do país. (RN/ Minuto)

Read 316 times

Escolha do editor

Publicidade

Cultura

Sociedade

Rádios Online

Antena Nacional

EP Gaza

EP Sofala

RM Desporto

EP Nampula

Inquerito

O que acha do nosso novo website?

Meteorologia

Sunny

26°C

Maputo, MZ

Sunny

Humidity: 62%

Wind: 35.40 km/h

Programação

Contacto

Direcção de Informação: email: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.; Fixo 21 42 99 08, Fax 21 42 98 26 | Rua da Radio N 2, P.O.Box 2000 | Rádio Moçambique, EP

Conecte-se Connosco