Top Ad
Millenium Bim
www.bimcom
A sua banca aqui consigo
Matola Gas Company
www.mgc.com
A força da energia limpa moçambiana!

Zimbabwe: É hora de deixar período conturbado e "abraçar o futuro"

Published in Política
terça, 14 agosto 2018 11:09
Rate this item
(0 votes)

O Presidente do Zimbabwe, Emmerson Mnangagwa, pediu aos cidadãos que se unam e coloquem o conturbado "período eleitoral para trás" e "abracem o futuro", no seu primeiro discurso público desde que venceu as eleições.

 O recém-eleito Chefe de Estado falava no feriado do Dia dos Heróis, que homenageia os que morreram na guerra dos anos 1970, no sul da África, contra o Governo de minoria branca.

Mnangagwa deveria ter tomado posse no domingo, mas a cerimónia de juramento foi adiada por causa do recurso sobre os resultados eleitorais, apresentado ao Tribunal Constitucional, pelo principal partido da oposição, Movimento para a Mudança Democrática (MDM).

A votação de 30 de Julho foi, na sua maioria, pacífica e muitos esperavam que isso fosse sinónimo de uma nova era no Zimbabwe, mas a capital foi abalada por protestos pós-eleitorais, durante os quais os militares abriram fogo sobre a população, matando seis pessoas.

Mnangagwa culpou a oposição pelas mortes, dizendo que eles incitaram à violência mas, no entanto, pediu uma reconciliação.

"Nunca devemos ser dissuadidos por contratempos temporários ou eventos lamentáveis que encontremos no nosso percurso para construir um Zimbabwe aberto, livre e democrático", disse Mnangagwa, que foi aplaudido pelos seus apoiantes.

"O tempo para a política acabou. Vamos, portanto, marchar em paz, harmonia e amor", afirmou o novo líder zimbabweano, ex-vice-presidente e apoiante de longa data do antigo Presidente Robert Mugabe, que renunciou em Novembro passado após pressão militar.

A Comissão Eleitoral do Zimbabwe disse que Mnangagwa e o partido União Nacional Africana do Zimbabwe - Frente Patriótica (ZANU-PF, no poder) venceram nas urnas a primeira eleição presidencial do país sem Mugabe. Mnangagwa ganhou com 50,8% dos votos, afirmou a comissão.

Mas em tribunal, os advogados da oposição alegaram "erros matemáticos grosseiros" na vitória de Mnangagwa, e pedem uma nova votação ou uma declaração de que o principal opositor, Nelson Chamisa, foi o vencedor.

No entanto, o partido de Mnangagwa, ZANU-PF, deverá contestar o recurso apresentado pela oposição.

Esta segunda-feira, Mnangagwa afirmou que tais diferenças não devem resultar em violência.

"Nunca permitamos que as nossas diferenças nos separem, causem animosidade ou agravem a intolerância e a violência entre nós", disse.

O Presidente sublinhou ainda: "Somos um só povo. É realmente hora de fecharmos as fileiras e de impulsionarmos coletivamente a nossa agenda nacional e forjar o nosso país a novas fronteiras de desenvolvimento económico."

Desde a sua independência em 1980, o país só conheceu dois chefes de Estado, ambos do Zanu-PF: Mugabe e Mnangagwa, o seu antigo vice-presidente, de 73 anos, que obteve agora a legitimidade eleitoral. (RM-NM)

Read 488 times Last modified on terça, 14 agosto 2018 19:08

Escolha do editor

Publicidade

Cultura

Rádios Online

Antena Nacional

EP Gaza

EP Sofala

RM Desporto

EP Nampula

Inquerito

O que acha do nosso novo website?

Meteorologia

Showers

20°C

Maputo, MZ

Showers

Humidity: 89%

Wind: 40.23 km/h

Programação

Contacto

Direcção de Informação: email: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.; Fixo 21 42 99 08, Fax 21 42 98 26 | Rua da Radio N 2, P.O.Box 2000 | Rádio Moçambique, EP

Conecte-se Connosco