×

Alerta

Falha ao carregar ficheiro XML

Rússia inicia esta terça-feira as maiores manobras militares da sua história

Published in Mundo
segunda, 10 setembro 2018 14:50
Rate this item
(0 votes)

A Rússia dá início na terça-feira às maiores manobras militares da sua história, que envolvem perto de 300.000 homens e todos os ramos das forças armadas, bem como unidades da China e da Mongólia.

 

Os exercícios, designados Vostok (Leste) 2018, decorrem de 11 a 17 de Setembro na Sibéria Oriental e no Extremo Oriente russo. O exército russo comparou esta demonstração de força ao Zapad-81 (Oeste-81) que, há perto de 40 anos, mobilizou entre 100.000 e 150.000 soldados do Pacto de Varsóvia na Europa de Leste, no que foram as maiores manobras militares da era soviética.

"Vai parecer Zapad-81, mas mais imponente de uma certa maneira", disse o ministro da Defesa, Sergei Shoigu, no final de agosto, adiantando que o contingente previsto para o Vostok 2018 inclui 300.000 soldados, 36.000 veículos militares (tanques, blindados de transporte de tropas, veículos de combate de infantaria), 1.000 aviões e 80 navios.

"E tudo isso, claro, numa situação tão próxima de uma situação de combate quanto possível", assinalou Shoigu na mesma altura.

Todo o equipamento moderno das forças armadas russas será utilizado: mísseis Iskander capazes de transportar ogivas nucleares, tanques T-80 e T-90 ou os recentes aviões de combate Su-34 e Su-35.

No mar, a frota russa destacará várias fragatas equipadas com mísseis Kalibr, que já deram provas na Síria.

As manobras vão decorrer num contexto de tensões entre a Rússia e os ocidentais, que incluem a crise ucraniana e o conflito na Síria, bem como numerosas acusações de ingerência na política ocidental.

"Trata-se de uma preparação para uma futura guerra mundial. O Estado-Maior russo calcula que ela ocorrerá depois de 2020: seja uma guerra global, seja uma série de conflitos regionais importantes. E o inimigo são os Estados Unidos e os seus aliados", disse o especialista militar russo Pavel Felguengauer à agência France-Presse.

Segundo o especialista, a participação da China nestes exercícios, embora seja de apenas 3.200 homens, é um factor chave.

"Não é tanto um sinal, uma mensagem, mas mais uma preparação para uma guerra real em grande escala", adiantou Felguengauer.

A opinião é partilhada pela NATO, que considera que Vostok 2018 "demonstra que a Rússia se está a concentrar no treino para um conflito em grande escala".

"Isto inscreve-se numa tendência que vemos há algum tempo: uma Rússia mais segura de si, que aumenta significativamente o seu orçamento de Defesa e a sua presença militar", indicou um porta-voz da Aliança Atlântica, Dylan White. (RM-NM)

Read 662 times

Escolha do editor

Publicidade

Cultura

Moçambique assinala Dia Internacional da Língua Materna

Moçambique assinala Dia Internacional da Língua Materna

Instituída em 1999 pela Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO), o...

Rádios Online

Antena Nacional

EP Gaza

EP Sofala

RM Desporto

EP Nampula

Inquerito

O que acha do nosso novo website?

Meteorologia

Maputo, MZ

Programação

Contacto

Direcção de Informação: email: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.; Fixo 21 42 99 08, Fax 21 42 98 26 | Rua da Radio N 2, P.O.Box 2000 | Rádio Moçambique, EP

Conecte-se Connosco