Top Ad
Millenium Bim
www.bimcom
A sua banca aqui consigo
Matola Gas Company
www.mgc.com
A força da energia limpa moçambiana!
×

Alerta

Falha ao carregar ficheiro XML

China e Estados Unidos voltam a discutir comércio no final deste mês

Published in Economia
quinta, 17 janeiro 2019 14:04
Rate this item
(0 votes)

A próxima ronda de negociações para pôr fim à guerra comercial entre a China e os Estados Unidos realiza-se em Washington, entre os dias 30 e 31 de Janeiro, informou esta quarta-feira o South China Morning Post.

 

O jornal de Hong Kong, que cita fontes anónimas, escreve que a delegação chinesa será liderada por Liu He, o vice-primeiro-ministro chinês encarregado dos assuntos económicos.

Liu vai reunir-se com o Representante do Comércio dos EUA, Robert Lighthizer, e com o secretário do Tesouro, Steven Mnuchin, detalha o jornal.

Liu He participou já numa das reuniões, durante a ronda de diálogos, que se realizou em Pequim, entre os dias 07 e 09 deste mês.

Tratou-se do primeiro frente-a-frente desde que, no início de Dezembro, os Presidentes dos Estados Unidos e da China, Donald Trump e Xi Jinping, respectivamente, concordaram uma trégua de 90 dias, para encontrar uma solução para as disputas comerciais que ameaçam a economia mundial.

Os dois países aumentaram já as taxas alfandegárias sobre centenas de milhões de dólares de produtos de cada um.

Trump exigiu que a China ponha fim a subsídios estatais para certas indústrias estratégicas, à medida que a liderança chinesa tenta transformar as firmas do país em importantes atores em actividades de alto valor agregado, como inteligência artificial, energia renovável, robótica e carros eléctricos, ameaçando o domínio norte-americano naquelas áreas.

Mas o Partido Comunista Chinês está relutante em abdicar dos seus planos, que considera cruciais para elevar o estatuto global do país.

E apesar de Trump ter escrito na rede social Twitter que a primeira ronda de diálogos "correu bem", as duas partes não abordaram ainda as divergências fundamentais, limitando-se a abordar a promessa da China de comprar uma "quantidade substancial" de produtos agrícolas, energia, bens manufacturados e outros produtos e serviços dos EUA.

Mas Washington quer também "mudanças estruturais" na política chinesa para o sector tecnológico, mais acesso ao mercado ou melhor protecção da propriedade intelectual e o fim da ciberespionagem sobre segredos comerciais de firmas norte-americanas.

Desde que os líderes dois países concordaram com o período de trégua, a China reduziu as taxas alfandegárias sobre veículos importados dos EUA, retomou a compra de soja norte-americana e apresentou um projecto de lei para proibir a transferência forçada de tecnologia.

Trump suspendeu temporariamente o aumento, de 10% para 25%, das taxas alfandegárias sobre 200 mil milhões de importações oriundas da China. (RM)

Read 417 times

Escolha do editor

Publicidade

Cultura

Rádios Online

Antena Nacional

EP Gaza

EP Sofala

RM Desporto

EP Nampula

Inquerito

O que acha do nosso novo website?

Meteorologia

Maputo, MZ

Programação

Contacto

Direcção de Informação: email: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.; Fixo 21 42 99 08, Fax 21 42 98 26 | Rua da Radio N 2, P.O.Box 2000 | Rádio Moçambique, EP

Conecte-se Connosco