Top Ad
Millenium Bim
www.bimcom
A sua banca aqui consigo
Matola Gas Company
www.mgc.com
A força da energia limpa moçambiana!
×

Alerta

Falha ao carregar ficheiro XML

Oposição e militares juntos pela 1.ª vez no Sudão desde saída de Bashir

Published in Política
domingo, 14 abril 2019 07:27
Rate this item
(0 votes)

Os movimentos políticos por trás dos protestos que levaram à queda do presidente do Sudão Omar al-Bashir reuniram-se, este sábado, com o exército, pela primeira vez desde a saída do governante do poder.

O encontro aconteceu dias depois de os protestos terem posto fim aos 30 anos de governação de Bashir e, logo de seguida, à remoção do general Awad ibn Ouf do seu cargo como líder militar interino por também não ser aceite como líder legítimo.
O movimento político constituiu uma delegação de 10 elementos para apresentar o que disse serem "as exigências do povo" ao conselho militar, reiterando a sua rejeição do exercício do poder pelo exército.
O secretário-geral do Partido Baath Socialista Árabe no Sudão, Ali al-Sanhouri, disse, em conferência de imprensa, que está a ser feito um apelo à criação de vários órgãos de soberania civil que governem o país durante a transição.
Também, este sábado, o conselho militar de transição anunciou os 10 membros que o irão compor, incluindo o líder das Forças de Apoio Rápido, Mohamed Hamdan Daqlo, como vice-presidente.
Os manifestantes já declararam que se vão manter nas ruas até que um conselho de transição civil seja formado, embora temam que o exército, dominado por seguidores do antigo presidente, permaneça no poder indefinidamente.
Por seu lado, o general Abdel-Fattah Burhan, que sucedeu a ibn Ouf, disse que foram convidadas figuras de "todos os espectros" do povo sudanês para dialogar.
Burhan indicou, numa transmissão televisiva, que iria levantar o recolher obrigatório imposto desde quinta-feira e autorizou a libertação imediata de todos os detidos e julgados durante a vaga de protestos que começou em Dezembro.
No entanto, activistas disseram ontem que 16 pessoas, incluindo um soldado, foram mortas nos dois dias desde a saída de Bashir.
O conselho militar que dirige o Sudão anunciou também ontem a demissão do chefe dos serviços de informações sudaneses, NISS, principal agente de repressão da contestação no país.
Os protestos foram desencadeados no final do ano passado devido a aumentos de preços e escassez de produtos, e rapidamente tomaram a dimensão de uma revolta semelhante às "Primaveras Árabes" contra Bashir, que tomou o poder num golpe de estado em 1989.
Omar al-Bashir é procurado pelo Tribunal Penal Internacional por acusações de genocídio no Darfur, na década passada. (RM/ NMinuto)

 

Read 118 times

Escolha do editor

Publicidade

Cultura

Festival AzGo lembra Oliver M’Tukudzi

Festival AzGo lembra Oliver M’Tukudzi

Músicos nacionais e estrangeiros partilham palco na 9ª Edição do Festival AZGO, para lembrar e celeb...

Rádios Online

Antena Nacional

EP Gaza

EP Sofala

RM Desporto

EP Nampula

Inquerito

O que acha do nosso novo website?

Meteorologia

Maputo, MZ

Programação

Contacto

Direcção de Informação: email: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.; Fixo 21 42 99 08, Fax 21 42 98 26 | Rua da Radio N 2, P.O.Box 2000 | Rádio Moçambique, EP

Conecte-se Connosco