Print this page

Agência de Desenvolvimento da Áustria disponibiliza 45.5 milhões de meticais para o sector agrário

Published in Recomendado
quarta, 12 junho 2019 19:34
Rate this item
(0 votes)

A Agência de Desenvolvimento da Áustria, ADA, disponibilizou 45.5 milhões de meticais à Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura, FAO, para apoiar os produtores afectados pelo Ciclone Idai nas províncias de Manica e Sofala.

 

Através destes fundos foram distribuídas 225 toneladas de sementes de milho (148t) e feijão (77t), e ferramentas agrícolas para beneficiar mais de 21.000 famílias nos distritos de Nhamatanda, Búzi, Sussundenga, Macate, Guro, Chemba, Tambara, Vanduzi e Mossurize. Cada família recebeu 8kg de sementes de milho, 4kg de sementes de feijão, duas enxadas e uma catana para retomar a produção de alimentos.

Para o processo de distribuição de insumos agrícolas foram priorizadas as famílias que perderam as suas reservas de alimentos e sementes. Os critérios de selecção também priorizaram as famílias lideradas por mulheres e outros grupos vulneráveis.

A selecção das áreas geográficas e dos beneficiários foi realizada em estreita colaboração com as autoridades provinciais do sector agrícola.

O Ministro da Agricultura e Segurança Alimentar, Higino de Marrule, participou da distribuição de sementes à população do distrito de Nhamatanda, onde assegurou que o Governo continuará a mobilizar mais apoios para que as famílias afectadas possam recuperar a produção perdida.

O Representante da FAO, Olman Serrano, destacou que logo após o Idai ter atingido a cidade da Beira, a Cooperação Austríaca foi a primeira a reagir e disponibilizar apoio através da FAO.

“Isso nos permitiu iniciar a aquisição de sementes e ferramentas agrícolas de imediato e ajudar os agricultores mais afectados”, disse.

Para o Representante da FAO, o montante recebido “vai contribuir para aumentar a disponibilidade de alimentos e reduzir a insegurança alimentar e a desnutrição”.

Por sua vez, o Chefe da Cooperação Austríaca para o Desenvolvimento, Hubert Neuwirth, destacou a importância deste apoio para as famílias que perderam tudo.

“Este apoio visa suprir as necessidades imediatas em sementes e outros utensílios agrícolas das famílias das zonas afectadas pelo ciclone Idai que retornam as suas zonas de origem, para que possam imediatamente recomeçar as actividades agrícolas com vista a assegurar a 2ª época da campanha agrícola, contribuindo desta forma para a segurança alimentar das suas famílias.”

Manica e Sofala produzem aproximadamente 25 por cento dos cereais do país, mas viram os seus recursos destruídos pelo Ciclone Idai, que passou pelo centro de Moçambique a 14 de Março último.

A maioria dos agricultores da região perdeu todo o seu stock de sementes assim como as culturas plantadas e quase prontas para colheita.

Antes do Ciclone Idai, as províncias afectadas já tinham sofrido secas e cheias recorrentes, que as tornaram vulneráveis a choques e acentuaram a situação de insegurança alimentar em determinadas zonas.

Segundo uma análise do Quadro Integrado de Classificação da Segurança Alimentar (IPC) de Dezembro de 2018 e dados do Secretariado Técnico de Segurança Alimentar e Nutricional (SETSAN), 1,7 milhões de pessoas em Moçambique encontravam-se, no ano passado, em situação de insegurança alimentar severa. (RM)

Read 167 times