Top Ad
Millenium Bim
www.bimcom
A sua banca aqui consigo
Matola Gas Company
www.mgc.com
A força da energia limpa moçambiana!
×

Alerta

Falha ao carregar ficheiro XML

Ébola: Demite-se ministro da Saúde da RDCongo

Published in Recomendado
segunda, 22 julho 2019 22:42
Rate this item
(0 votes)

O ministro da Saúde da República Democrática do Congo (RDCongo), Oly Ilunga, demitiu-se hoje das suas funções no Governo, depois de o Presidente, Félix Tshisekedi, ter assumido a supervisão do combate à epidemia.

"Analisando as consequências da sua decisão (...) e antecipando a cacofonia prejudicial à resposta que inevitavelmente resultará desta decisão, eu apresento-lhe a minha renúncia às funções de ministro da Saúde", escreveu Ilunga numa carta enviada hoje a Tshisekedi e que partilhou na plataforma Twitter.
Na sua carta de demissão, Ilunga comparou a resposta ao vírus como uma "guerra", referindo que as linhas de comando devem estar "claramente identificadas e definidas".
"Não pode haver mais um centro de decisão sob o risco de criar confusão e cacofonia prejudicial", acrescentou Ilunga.
Nomeado em Dezembro de 2016 pelo então chefe de Estado congolês Joseph Kabila, Oly Ilunga foi o responsável pelo anúncio do surto, em agosto de 2018.
Desde então, 1.737 pessoas morreram devido à febre hemorrágica, principalmente na região de Beni e Butembo, segundo o mais recente boletim do Ministério da Saúde congolês, emitido esta madrugada.
No domingo, a presidência da RDCongo anunciou que um comité de especialistas iria passar a assegurar a coordenação do combate ao Ébola "sob a direcção do professor Jean-Jacques MuyambeTamfum".
O anúncio de que o combate ao Ébola está sob a alçada do Presidente Félix Tshisekedi aconteceu três dias depois da OMS ter elevado a epidemia ao nível de "urgência de saúde pública de interesse internacional".
Na sexta-feira, a Direcção-Geral da Saúde portuguesa desaconselhou as viagens à República Democrática do Congo e sugeriu, nos casos de viagem indispensável, que se lave e descasque fruta e vegetais antes de consumir, e que se evite carne de caça.
Este surto, o segundo mais mortífero na história, é apenas ultrapassado pela epidemia que entre 2014 e 2016 atingiu a África Ocidental e que matou mais de 11.300 pessoas. (RM /NMINuto)

Read 440 times

Escolha do editor

Publicidade

Rádios Online

Antena Nacional

EP Gaza

EP Sofala

RM Desporto

EP Nampula

Inquerito

O que acha do nosso novo website?

Meteorologia

Maputo, MZ

Programação

Contacto

Direcção de Informação: email: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.; Fixo 21 42 99 08, Fax 21 42 98 26 | Rua da Radio N 2, P.O.Box 2000 | Rádio Moçambique, EP

Conecte-se Connosco