Top Ad
Millenium Bim
www.bimcom
A sua banca aqui consigo
Matola Gas Company
www.mgc.com
A força da energia limpa moçambiana!
Ciência & Tecnologia

Ciência & Tecnologia (160)

Num momento de maior pressa certamente que já retirou da entrada USB uma pen de armazenamento do computador sem aviso. Se o fez é praticamente certo que também se tenha questionado sobre as consequências desta acção ou sequer se tem alguma.

Pois bem, de acordo com uma publicação na plataforma Quora este é um hábito que pode vir a querer mudar. Remover a pen USB em segurança usando os comandos do computador faz com que sejam levadas a cabo os processos de gravação devidos. São 30 segundos adicionados relevantes para que o computador finalize todos os processos em andamento, garantindo assim que todo o progresso é gravado com sucesso.

E se não o fizer? Ainda que não seja garantido que tenha qualquer dano, corre o risco de ‘confundir’ o computador e perder dados, corromper ficheiros de sistema ou até encerramentos inesperados de programas. (RM /NMinuto)

Cientista Stephen Hawking morre aos 76 anos

Written by
Published in Ciência & Tecnologia
quarta, 14 março 2018 10:49

O físico britânico Stephen Hawking, cujo trabalho na área da relatividade e dos buracos negros se destacou, morreu, esta terça-feira, aos 76 anos de idade, na sua casa em Cambridge, anunciou a sua família.
"Estamos profundamente tristes com a morte, hoje, do nosso adorado pai. Foi um grande cientista e um homem extraordinário, cujo trabalho e legado permanecerão por muitos anos", escreveram os filhos do cientista, Lucy, Robert e Tim, num texto divulgado pelas agências noticiosas.
No texto, os filhos de Stephen Hawking acrescentam que a sua coragem e persistência, assim como a sua inteligência e humor inspiraram pessoas por todo o mundo.
"Ele disse um dia que 'este não seria um grande universo se não fosse a casa das pessoas que amamos'", acrescentam os filhos.
Hawking é um dos cientistas com maior destaque desde o físico alemão Albert Einstein. A sua obra "Uma Breve História do Tempo" é um dos livros mais vendidos no mundo.
Apesar de sofrer de esclerose lateral amiotrófica desde os 21 anos, Hawking surpreendeu os médicos ao viver mais de 50 anos com esta doença fatal, caracterizada pela degeneração dos neurónios motores, as células do sistema nervoso central que controlam os movimentos voluntários dos músculos.
Em 1985, uma grave pneumonia deixou-o a respirar por um tubo, forçando-o, desde então, a comunicar através de um sintetizador de voz electrónico.
Mas Hawking continuou a desenvolver as suas pesquisas na área da ciência, a aparecer na televisão e casou pela segunda vez.
Professor de matemática na universidade de Cambridge, Hawking fez parte de uma das mais importantes pesquisas no ramo da física, sobre a "Teoria de Tudo".
Aquela teoria resolveria as contradições entre a teoria geral da relatividade, de Einstein, que descreve as leis da gravidade que determinam o movimento de corpos como planetas, e a teoria da mecânica quântica, que lida com partículas subatómicas.
Para Hawking, aquela pesquisa era uma missão quase divina, pois dizia que encontrar a "Teoria do Tudo" permitiria à humanidade "conhecer a mente de Deus".
Anos mais tarde, contudo, Hawking admitiu que aquela teoria talvez não exista.
Num outro livro, "O Universo Numa Casca de Noz", explica conceitos como a super gravitação, singularidade nua e a possibilidade de um universo com onze dimensões.
A combinação entre a sua obra e o facto de permanecer quase totalmente incapacitado - no final podia apenas contrair alguns músculos da cara - fez com que se tornasse um dos cientistas mais conhecidos do mundo.
Publicado em 2014, o filme "The Theory of Everything" ("A Teoria de Tudo"), retrata a sua vida e carreira académica. (RM/NMinuto)

As reservas de peixe daqui a 300 anos poderão baixar para menos de metade no Atlântico e no Pacífico se o aquecimento global não for travado, segundo um estudo publicado na revista Science por investigadores da Universidade da Califórnia.

Os especialistas em clima fizeram simulações computorizadas de como será o mundo no século XXIV se o aquecimento global se mantiver e descobriram que as temperaturas poderão subir até 9,6 graus centígrados, o que alterará drasticamente os padrões dos ventos, aumentará a temperatura da água do mar e derreterá quase todo o gelo das regiões polares.

Para a pesca, o resultado será uma quebra mundial média de 20 por cento, chegando até aos 60% no Atlântico Norte e mais de 50% no oceano Pacífico.

"Sem o gelo flutuante, que actualmente bloqueia a maior parte da luz solar, aumenta a fotossíntese", afirmou Keith Moore, da universidade norte-americana, referindo que com as alterações do clima previstas, o fitoplâncton de que os peixes se alimentam ficará concentrado na Antártida, em vez de descer para as latitudes mais baixas, e deixará de estar à superfície, descendo para profundidades maiores.

O clima está em mudança mas o calor adicional está à superfície e leva "séculos até esse calor chegar ao oceano mais profundo, alterando as correntes e acabando com o gelo polar", referiu.

"É isso que vai acontecer se não travarmos o aquecimento global, que será uma catástrofe para os oceanos", salientou, admitindo que ainda há tempo de evitar a maior parte deste aquecimento e estabilizar o clima até ao fim do século XXI.

Para isso, é preciso "reduzir agressivamente o uso de combustíveis fósseis e as emissões de poluentes com efeito de estufa", defendeu. (RM /NMinuto)

O governo do Sri Lanka ordenou o bloqueio das redes sociais mais populares naquele país, na tentativa de impedir a propagação dos tumultos contra a minoria muçulmana e intercomunitários registados nos últimos dias, foi esta quarta-feira divulgado.

O Ministério da Saúde vai introduzir, a partir deste ano, a vacina combinada contra o sarampo e a rubéola para garantir imunização e crescimento saudável à todas as crianças moçambicanas com idades entre seis meses e 14 anos.

A China está a desenvolver o seu primeiro porta-aviões de propulsão nuclear, que deverá estar pronto em 2025, informou, esta quinta-feira, a imprensa, num novo marco histórico na ambição de Pequim de aumentar a sua capacidade militar.

OCSIC, a principal empresa chinesa de construção naval militar, afirmou esta semana num comunicado que um navio de propulsão atómica poderá estar pronto a navegar dentro de sete anos, segundo o jornal de Hong Kong South China Morning Post. A marinha chinesa tem já dois porta-aviões, ambos de propulsão clássica.
O primeiro foi comprado à Ucrânia e restaurado na China; o outro, inaugurado em 2017, foi inteiramente desenhado e construído no país asiático.
O CSIC encarregou-se do restauro do primeiro e da construção do segundo, pelo que analistas afirmam que o navio de propulsão nuclear anunciado é um porta-aviões.
No entanto, a empresa modificou o seu comunicado na quarta-feira, e eliminou referências a um navio nuclear, referindo antes que trabalha em "tecnologias-chave".
"O panorama da segurança da China está a experimentar profundas alterações, e as ameaças à sua segurança marítima estão a aumentar", referiu a empresa.
Nos últimos anos, a China tem adoptado uma política assertiva no Mar do Sul da China, que reclama quase na totalidade, apesar dos protestos dos países vizinhos.
Os Estados Unidos, que têm onze porta-aviões nucleares, e a França, que tem um, são os únicos países do mundo com porta-aviões propulsionados por reactores atómicos. (RM /NMinuto)

Escolha do editor

Publicidade

Rádios Online

Antena Nacional

EP Gaza

EP Sofala

RM Desporto

EP Nampula

Inquerito

O que acha do nosso novo website?

Meteorologia

Mostly Clear

23°C

Maputo, MZ

Mostly Clear

Humidity: 87%

Wind: 22.53 km/h

Programação

Contacto

Direcção de Informação: email: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.; Fixo 21 42 99 08, Fax 21 42 98 26 | Rua da Radio N 2, P.O.Box 2000 | Rádio Moçambique, EP

Conecte-se Connosco