Atentado em Istambul. 17 suspeitos em prisão preventiva e 29 deportados

Publicado: 18/11/2022, 13:59
Categoria:

Dezassete pessoas, incluindo a suposta autora do ataque que no domingo deixou seis mortos e 81 feridos em Istambul, ficarão a partir de hoje em prisão preventiva, enquanto outras 29 serão deportadas, segundo os 'media' oficiais locais.

As autoridades turcas não disseram as nacionalidades das pessoas que serão deportadas, segundo a agência de notícias oficial Anadolu.

A Anadolu referiu que 49 detidos foram interrogados pelo Ministério Público e depois colocados à disposição do juiz, que decretou as medidas judiciais.

Outros três suspeitos permanecerão sob vigilância judicial e outros dois estão a ser interrogados.

Todos as pessoas que ficaram em prisão preventiva são acusadas de crimes como "destruição da unidade e integridade do Estado", "homicídio premeditado" ou "colaboração em homicídio".

De acordo com a agência Anadolu, a cidadã síria Ahlam Albashir, acusada de ter colocado a bomba na rua Istikal, no centro de Istambul, declarou que a ordem para viajar para a cidade veio da milícia curda síria Unidades de Proteção Popular (YPG), mas não lhe informaram o motivo, sublinhando ainda que ameaçaram prejudicar a sua família se não o fizesse.

Ahlam Albashir declarou ainda que percorreu por três vezes a zona do ataque e que não sabia que tinha uma bomba na mochila que lhe deram para colocar na rua.

No domingo passado, a cidadã síria pegou um táxi em direção ao centro da cidade com outros dos suspeitos - ambos ainda estão a ser procurados pelas autoridades -, e depois sentou-se num banco na rua Istikal, onde esperou 40 minutos até receber uma chamada a dizer para deixar a mochila e sair do local.

A YGP é considerada pela Turquia uma organização terrorista, mas que tem sido apoiada pelos Estados Unidos no combate contra o grupo 'jihadista' Estado Islâmico (EI) na Síria.

Ancara tem acusado Washington de financiar e fornecer equipamento militar ao YPG.

A milícia curda síria, a principal formação das Forças Democráticas Sírias (FDS), instalados no norte e leste do país em guerra, e o Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK) já desmentiram qualquer envolvimento no atentado.

Para as autoridades turcas, o YPG constitui um prolongamento na Síria do PKK, a guerrilha curda considerada terrorista por Ancara, Estados Unidos e União Europeia. (RM-NM)

Tags: 

Pesquisar

Últimas Notícias

Rádio Moçambique

Rua da Rádio N 2, P.O.Box 2000 | Rádio Moçambique, EP
Email: info@rm.co.mzFixo: +258 21 42 99 08Fax: +258 21 42 98 26
Subscreva agora

Bem-vindo ao nosso Centro de Subscrição de Newsletters Informativos. Subscreva no formulário abaixo para receber as últimas notícias e actualizações da Rádio Moçambique.

Instale a nossa App

crosschevron-down linkedin facebook pinterest youtube rss twitter instagram facebook-blank rss-blank linkedin-blank pinterest youtube twitter instagram