Biden e Sunak classificam de bárbaros últimos ataques da Rússia

Publicado: 16/11/2022, 9:36
Categoria:

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, e o primeiro-ministro britânico, Rishi Sunak, classificaram, esta quarta-feira, os últimos ataques aéreos da Rússia à Ucrânia como bárbaros.

Os dois líderes falavam no início de uma reunião à margem da cimeira do G20, na ilha indonésia de Bali.

"Numa altura em que os líderes mundiais estão aqui em Bali para tentar fazer progressos na paz mundial, o Presidente russo, Vladimir Putin, está a lançar ataques contra alvos civis", criticou Biden. E acrescentou: "A Rússia pode e deve pôr fim a esta guerra".

Joe Biden chamou aos últimos ataques da Rússia na Ucrânia de bárbaros, e Sunak disse que concordava com a descrição do líder norte-americano.

A Rússia efectuou na terça-feira o maior ataque aéreo contra infa-estruturas energéticas da Ucrânia desde o início da guerra, lançando mais de 90 mísseis.

O ataque ocorreu enquanto decorre em Bali a cimeira do G20 e após a retirada do exército russo da região norte de Kherson.

Vladimir Putin não participou no encontro do G20 e foi substituído pelo ministro dos Negócios Estrangeiros, Sergey Lavrov, que deixou a cimeira na terça-feira antes desta terminar.

Entretanto, a cimeira do G20, que termina hoje, ficou marcada pela queda, na terça-feira, de um míssil de fabrico russo na Polónia que matou duas pessoas.

O Ministério dos Negócios Estrangeiros de Varsóvia confirmou que um "projéctil de fabrico russo" atingiu o território deste país da NATO junto à fronteira com a Ucrânia, causando a morte a duas pessoas.

"Na vila de Przewodów (...), um projéctil de fabrico russo caiu, matando dois cidadãos da República da Polónia", salienta-se num comunicado do porta-voz do ministério, Lukasz Jasina.

O Presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, já veio dizer hoje que é improvável que o míssil que atingiu a Polónia e matou duas pessoas tenha sido disparado a partir da Rússia.

"Há informações preliminares que contestam isso", disse Biden aos jornalistas quando questionado se o míssil foi disparado da Rússia. "É improvável nas linhas da trajectória que tenha sido disparado da Rússia, mas veremos", acrescentou na ilha indonésia de Bali, onde se encontra para participar na cimeira do G20.

Por outro lado, os líderes do G7 e da NATO decidiram apoiar uma investigação sobre a queda do míssil de fabrico russo, revelou o Presidente dos EUA.

O governante explicou que este acordo foi alcançado "por unanimidade" durante uma reunião de emergência que decorreu esta manhã. (RM-NM)

Tags: 

Pesquisar

Últimas Notícias

Rádio Moçambique

Rua da Rádio N 2, P.O.Box 2000 | Rádio Moçambique, EP
Email: info@rm.co.mzFixo: +258 21 42 99 08Fax: +258 21 42 98 26
Subscreva agora

Bem-vindo ao nosso Centro de Subscrição de Newsletters Informativos. Subscreva no formulário abaixo para receber as últimas notícias e actualizações da Rádio Moçambique.

Instale a nossa App

crosschevron-down linkedin facebook pinterest youtube rss twitter instagram facebook-blank rss-blank linkedin-blank pinterest youtube twitter instagram