João Lourenço. "Uma vitória da humildade, seriedade e estabilidade"

Publicado: 29/08/2022, 21:32
Categoria:

A Comissão Nacional Eleitoral confirmou, esta segunda-feira, a vitória do Movimento Popular de Libertação de Angola (MPLA). O partido presidido por João Lourenço obteve 51,17% dos votos.
A vontade soberana do povo angolano, através do eleitores que exerceram o seu direito de voto nas urnas, acaba de conferir ao MPLA a legitimidade de governar Angola em toda a sua extensão territorial", afirmou João Lourenço no seu primeiro discurso como presidente reeleito.
"É com enorme orgulho e satisfações que celebramos hoje mais uma vitória do MPLA, uma vitória da humildade, da seriedade e da estabilidade", considerou.
O líder reeleito agradeceu ainda a "confiança que os angolanos depositaram no MPLA e no seu candidato para continuarem a trabalhar no desenvolvimento económico e social do país e no bem-estar dos angolanos", mas também a todos os angolanos que participaram nas eleições "de forma exemplar".
Agradecendo também à Comissão Nacional Eleitoral (CNE), que "assegurou que os angolanos escolhessem o seu futuro pela via democrática", deixou uma palavra também aos observadores nacionais e internacionais. "[Estas eleições] Foram a prova de um extraordinário civismo e sentido democrático dos angolanos", rematou.
"A 24 de agosto o povo angolano decidiu de forma inequívoca - como, aliás, só a ele cabia fazer - que deseja um executivo do MPLA para os próximos cinco anos, como garantia de estabilidade e consolidação do Estado democrático e de Direito", notou.
"A vitória do MPLA significa para Angola e para os angolanos um executivo que assume os seus compromissos políticos e com coragem e com responsabilidade. Um executivo que não tem medo de romper com os poderes instalados e de fazer as mudanças necessárias. Um executivo que não desiste de lutar por mais transparência e eficiência das instituições do Estado. Um executivo que não baixe os braços perante as dificuldades, procurando sempre assegurar mais desenvolvimento e progresso para Angola e para os angolanos", referiu.
'Geringonça' angolana? "É melhor esquecer"
Questionado pela agência Lusa sobre se sentia que tinha legitimidade para governar - dada não só a descida dos votos em regiões como Luanda, mas também com as contestações do principal partido da oposição -, João Lourenço foi peremptório, perante as reacções dos presentes, que se mostraram surpreendidos pela pergunta.
"Está no direito de perguntar o que quiser. Eu posso e devo governar com toda a legitimidade que os eleitores conferiram ao MPLA e ao seu candidato. A oposição contesta, mas há instituições adequadas para se fazer essa contestação. Eles que façam. Tem prazos, vamos aguardar", afirmou. "Temos legitimidade para governar sozinhos. Não temos necessidade de fazer nenhuma geringonça. As geringonças são feitas quando o partido vencedor não tem votos suficientes para governar sozinho. Por isso, se me está a falar de geringonça é melhor esquecer porque não haverá geringonça", afirmou, sendo aplaudido.
Já a RTP questionou o líder angolano sobre como justificava os "piores resultados de sempre" e se seriam precisas mudanças no partido. "O MPLA não teve os piores resultados de sempre", afirmou, falando nas eleições de 1992, quando o partido teve cerca de 53%. "Entre 51% e 53% não estou a ver grande diferença", rematou, acrescentando: "Não tivemos os piores resultados. Os resultados foram bons porque ganhámos. Se tivemos os piores resultados, o que dirá a oposição, que perdeu?", retorquiu.
Vitória, promessas e transparência
O presidente reeleito considerou ainda que este era o momento de "continuar a apostar" num conjunto de investimentos e de reformas necessárias para tornar Angola num pais mais próspero, desenvolvido e inovador". "Vamos unir-nos no novo espírito de patriotismo e responsabilidade", pediu.
"Serei o presidente da República de todos os angolanos", prometeu, acrescentando que tinha como compromisso que o país fosse uma grande economia, democracia e uma sociedade onde todos os angolanos tenham as mesmas oportunidades de desenvolvimento. "Enfim, de prosperar", reiterou.
Não só de agradecimentos João Lourenço encheu o seu discurso, durante o qual houve tempo para deixar algumas promessas ao povo e juventude, a que será prestada uma atenção particular, segundo sublinhou. "Com o setor privado e outros parceiros apostaremos fortemente na criação de mais oportunidades de emprego, de alto emprego e de sucesso no empreendedorismo. Este é o momento de abrir as portas das oportunidades aos nossos jovens, de restaurar prosperidade e de promover a paz", referiu.
"Todos os partidos políticos e coligações tiveram oportunidade de convidar um número igual para todos de observadores nacionais e estrangeiros", lembrou João Lourenço, minutos depois de ter deixado as saudações a toda a oposição. "É ainda importante reconhecer que nestas eleições, a imprensa nacional e estrangeira teve a total liberdade de movimentos, acesso a informação, total liberdade de imprensa", considerou, sublinhando que a comunidade internacional reconhece estas eleições como "justas, livres e transparentes". "Esta é mais uma vitória de Angola e dos angolanos, no geral", rematou.
A CNE confirmou, esta segunda-feira, que o MPLA venceu as eleições presidenciais com 3,209.429 milhões dos votos, o que permitirá que o partido continue no poder - agora, com 124 deputados.
O 2.º partido mais votado foi a União Nacional para a Independência Total de Angola (UNITA), que teve 2,756.786 votos (43,95%). O partido de Adalberto Costa Júnior ficou com 90 deputados. (RM /NMinuto)

Tags: ,,

Pesquisar

Últimas Notícias

Rádio Moçambique

Rua da Rádio N 2, P.O.Box 2000 | Rádio Moçambique, EP
Email: info@rm.co.mzFixo: +258 21 42 99 08Fax: +258 21 42 98 26
Subscreva agora

Bem-vindo ao nosso Centro de Subscrição de Newsletters Informativos. Subscreva no formulário abaixo para receber as últimas notícias e actualizações da Rádio Moçambique.

Instale a nossa App

crosschevron-down linkedin facebook pinterest youtube rss twitter instagram facebook-blank rss-blank linkedin-blank pinterest youtube twitter instagram