Putin ordena cessar-fogo de 36 horas. "Dando-lhes a oportunidade"

Publicado: 06/01/2023, 0:20
Categoria:

As tropas russas a combater na Ucrânia observarão um cessar-fogo de 36 horas entre o meio-dia de 6 de Janeiro e a meia-noite de 7, decretou, esta quinta-feira, o presidente da Rússia
Em comunicado, o Kremlin explicou que respondeu ao apelo deixado hoje pelo Patriarca Kirill, que pediu umas 'tréguas' para o Natal Ortodoxo, que se celebra a 6 e 7 de Janeiro - véspera e dia.
"Dado o apelo do Patriarca Kirill, pedi ao Ministro da Defesa da Federação da Rússia para cessar-fogo em todo a linha de combate", escreve a agência, citando Vladimir Putin, que nota que as 'tréguas' temporárias durarão 36 horas.
O responsável justifica ainda que há um "grande número" de ortodoxos nas zonas hostis, pedindo também "ao lado ucraniano para cessar-fogo, dando-lhes assim a oportunidade de irem às celebrações na véspera de Natal, assim como ao Dia de do Nascimento de Cristo".
O patriarca Kirill tinha apelado hoje aos beligerantes "no conflito fratricida para os convocar a estabelecer um cessar-fogo e selar uma trégua de Natal das 12:00 de 06 de Janeiro às 00:00 de 07 de Janeiro para que a população ortodoxa possa ir à missa na véspera de Natal e no dia do nascimento de Jesus Cristo".
Em resposta, o conselheiro presidencial do Presidente ucraniano Mykhailo Podolyak considerou o apelo de Kirill "uma armadilha cínica e um elemento de propaganda".
O presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, também tinha pedido hoje, numa conversa telefónica com o seu homólogo russo, a adopção de um "cessar-fogo unilateral" na Ucrânia para poder ser negociada "uma solução justa".
"Os pedidos de paz e as negociações entre Moscovo e Kiev devem ser apoiados por um cessar-fogo unilateral", disse o chefe de Estado da Turquia a Putin, de acordo com um comunicado divulgado pela presidência turca.
Erdogan manteve hoje também um contacto telefónico com o Presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky.
Através do Telegram, Zelensky indicou que discutiu com o homólogo turco "a cooperação de segurança bilateral e questões de segurança nuclear", e neste ponto em particular a situação na central nuclear ucraniana de Zaporijia, sob ocupação russa.
"Também conversamos sobre a troca de prisioneiros de guerra com a mediação turca, o desenvolvimento do acordo de cereais e agradecemos a disposição de Turquia em participar da implementação de nossa Fórmula da Paz", adiantou o Presidente.
A ofensiva militar lançada a 24 de Fevereiro pela Rússia na Ucrânia causou já a fuga de mais de 14 milhões de pessoas -- 6,5 milhões de deslocados internos e mais de 7,9 milhões para países europeus -, de acordo com os mais recentes dados da ONU, que classifica esta crise de refugiados como a pior na Europa desde a Segunda Guerra Mundial (1939-1945).
Neste momento, 17,7 milhões de ucranianos precisam de ajuda humanitária e 9,3 milhões necessitam de ajuda alimentar e alojamento.
A ONU apresentou como confirmados desde o início da guerra 6.919 civis mortos e 11.075 feridos, sublinhando que estes números estão muito aquém dos reais. (RM /NMinuto)

Últimas Notícias

Rádio Moçambique

Rua da Rádio N 2, P.O.Box 2000 | Rádio Moçambique, EP
Email: info@rm.co.mzFixo: +258 21 42 99 08Fax: +258 21 42 98 26
Subscreva agora

Bem-vindo ao nosso Centro de Subscrição de Newsletters Informativos. Subscreva no formulário abaixo para receber as últimas notícias e actualizações da Rádio Moçambique.

Instale a nossa App

crosschevron-down linkedin facebook pinterest youtube rss twitter instagram facebook-blank rss-blank linkedin-blank pinterest youtube twitter instagram