Print this page

Parlamento malawiano debate legalização do aborto

Published in Mundo
terça, 15 setembro 2020 08:04
Rate this item
(0 votes)

De acordo com a comissão parlamentar de saúde do Malawi, a aprovação da lei de aborto vai reduzir a morte de mulheres devido a abortos inseguros que são feitos de forma clandestina.

 

O presidente desta comissão parlamentar, Matthews Ngwale, explicou que o Malawi continua com altas taxas de mortalidade materno-infantil, comparativamente aos países da região, uma situação que urge reverter.

Dados ilustrativos indicam que em cada 100.000 mulheres, 439 morrem anualmente devido a complicações de gravidez.

 “Não podemos continuar a assistir mulheres a morrerem devido ao aborto inseguro-disse Mattews Ngwale presidente da comissão parlamentar de saúde do Malawi, para quem a legalização vai reduzir as mortes que ocorrem com frequência.

Entretanto, o projecto de lei que regula o aborto está a ser duramente criticado pelas lideranças religiosas.

A Conferência Episcopal, a Associação Evangélica e o Conselho Cristão todos do Malawi, vincaram que qualquer vida, incluindo de um nascituro, é sagrada.

O secretário-geral da conferência episcopal do Malawi, o Padre Henery Saindi, disse em entrevista que a igreja católica mantém a sua posição de que um aborto provocado é pecado perante Deus.

O projecto de lei de aborto no Malawi, depositado na Assembleia da República em 2016, volta a ser debatido 4 anos depois apesar de não reunir consenso no seio dos vários extractos da sociedade.( RM Blantyre)

Read 206 times