Violência obstétrica nas unidades sanitárias preocupa as ONG´s

Publicado: 12/12/2022, 9:28
Categoria:

A violência obstétrica nas unidades sanitárias durante a fase de pré-natal, parto e pós-parto continua a constituir preocupação para as organizações não-governamentais que operam no país.

A título de exemplo, um estudo desenvolvido pelo Observatório do Cidadão para Saúde e organização “Saber Nascer” indica que cerca de 89 por cento, de um total de quatrocentos e quarenta e duas mulheres inqueridas, foram vítimas de violência obstétrica nas unidades sanitárias durante a fase pré-natal, parto e pós-parto.

O estudo foi realizado em treze unidades sanitárias das cidades de Maputo, Inhambane e nas províncias de Sofala e Tete.

Para a Directora Executiva da Organização Saber Nascer, Camila Fanheira, a melhor forma de acabar com a violência é educar as mulheres para que conheçam os seus direitos.

A coordenadora do Centro de Análise do Observatório do Cidadão para Saúde, Clélia Pondja, disse que a organização tem estado a trabalhar na disseminação de informação sobre os direitos das mulheres.

A coordenadora do Centro de Análise do Observatório do Cidadão para Saúde, Clélia Pondja, falava no seminário sobre violência obstétrica, realizado hoje, na cidade de Maputo, no quadro dos dezasseis dias de activismo contra a violência de género. (RM)

Tags: 

Últimas Notícias

Rádio Moçambique

Rua da Rádio N 2, P.O.Box 2000 | Rádio Moçambique, EP
Email: info@rm.co.mzFixo: +258 21 42 99 08Fax: +258 21 42 98 26
Subscreva agora

Bem-vindo ao nosso Centro de Subscrição de Newsletters Informativos. Subscreva no formulário abaixo para receber as últimas notícias e actualizações da Rádio Moçambique.

Instale a nossa App

crosschevron-down linkedin facebook pinterest youtube rss twitter instagram facebook-blank rss-blank linkedin-blank pinterest youtube twitter instagram